sexta-feira, 12 de junho de 2015

ASSIM DIZ O SENHOR (AOS CRISTÃOS)


Não se importam em endireitar as vossas veredas, desprezam as minhas doutrinas a cada dia. 

Buscam-me para satisfazê-los, me enfadam com suas cantigas vazias e me desafiam com vossos subornos em busca de conquistas materiais.


Acaso me sujeitaria tomando de vossas mãos algum bem para que atendesse vossas vaidades? Certamente que não!

Seus famigerados guias que tomam de vossas mãos todo o suborno,  estes possuem dívidas convosco. Deles devem exigir  todas as promessas, não de mim.

A nenhum deles enviei e nem constituí, como dizem. Não conheço a estes amantes das riquezas, iníquos e sem afeição natural.

Minha causa sustento pela minha destra, minha obra realizo pelo meu Espírito. Que crise poderia inflacionar a moeda que sustenta o reino que eu mesmo gerei, a moeda que é meu próprio sangue?    

Mas todos são egocêntricos, amantes de si mesmos. Buscam-me com os olhos cheios de cobiças, apegados aos bens, tornaram-se iníquos uns para com os outros.
Deixaram a minha aliança, como Israel e Judá, quebrando os estatutos a vós destinados. Como se nunca tivessem aprendido,  insistem realizar sacrifícios de tolos, não em ter misericórdia.  

Continuam cavando para si cisternas rotas e desprezando a fonte de Águas Vivas ao constituírem religiões voltadas a atenderem a si mesmos.

Estou a porta e bato, mas não me ouvem. Seus corações estão obstinados pelo mundanismo, vossos ouvidos são ávidos para a apostasia e os vossos pés ligeiros para as injustiças e vaidades.

Amam os mercenários bajuladores, que com lisonjas e longas pregações devoram a casa dos necessitados.

A nenhum destes protestastes, antes, fortalecem suas mãos para que prospere suas más obras. Por causa de todas estas coisas, meu nome tem sido blasfemado e o meu evangelho difamado.

A todas estas coisas tenho denunciado, protestado e condenado. Mas suas vistas grossas fingem não ver e seus ouvidos tapados recusam ouvir, assim é porque vossos corações estão cheios de glutonarias.

Por isso vos entreguei ao vexame. Vossas religiões serão pisadas e vossos objetos sagrados lhes servirão de escárnio. As cisternas que vocês cavaram servirão de latrina para seus adversários defecarem.

Se fizeram de surdos e cegos diante dos meus estatutos de justiça, rejeitaram os meus ensinamentos, assim também não os ouvirei.

Clamam a mim por vingança contra aqueles que agora vos insultam, como se tivessem direitos de escaparem da punição, mas clamam em vão.


Favorecerei os detestáveis da oposição como fortaleci a mão de Nabucodonosor contra Jerusalém e, como as mãos dos caldeus contra Israel até reduzí-los à pó, assim também vos tratarei até que tomem tudo o que é vosso e vos escravizem e pereçam de fome, de pestes, nas prisões e nos combates. Vossas casas de orações que se tornaram antros de demônios, de toda sorte de profanação e prostituição espiritual, a qual dizem, casa de Deus, casa de Deus, serão confiscadas e servirão aos propósitos daqueles que elaboram leis para destruí-los. 

Vossos líderes que se corromperam com o ouro e a prata, que se deixaram seduzir pelas lisonjas e fizeram do meu sangue e da minha carne mercado, serão envergonhados, pois aquilo que não desejam, isto farei, até que toda a força deles seja despedaçada e, então saberão que eu mesmo levantei o meu braço por zelo do meu nome e das minhas palavras. Delas fizeram riquezas para si e domínios sobre o rebanho para escraviza-lo, por isso os levarei pelas mãos da oposição aos calabouços. Não deram ouvidos ao que eu disse: Aquele que matar a espada importa que a espada seja morto e, ao que levar para o cativeiro, para o cativeiro irá.

Mataram muitas almas que deveriam viver e fortaleceram almas que deveriam morrer, e assim transtornaram o conhecimento por amor à suas vaidades, fazendo aliança com os ímpios sobre o cadáver do meu povo, o qual assassinam com suas heresias fraudulentas, corruptas. 

Fortalecerei um pouco mais as mãos dos vossos opressores e terão êxito em seus decretos legais até que vos silenciem e, quando a mordaça estiver em vossas bocas como os freios de um cavalo, saberão que o Senhor vos repreendeu, porque não tenho prazer em vossos encontros solenes, não compartilho convosco destas imundícias que celebram com cânticos e sapateados que em meu nome realizam, como se de mim tivessem aprendido estas feitiçarias, nem tão pouco endosso as suas obras religiosas com as quais negam o meu santo nome, pois tudo o que fazem é por interesse próprio, vaidades e avarezas.


Atente povo meu à PALAVRA  que vos tenho anunciado, que nos últimos dias muitos virão em meu nome, como se de mim fossem enviados e os caçarão como presas para se beneficiar da gordura e da lã do rebanho. Vos disse que pelos frutos os conhecereis, que nenhuma árvore má produz frutos bons. Também vos mandei que dos tais fugissem! Não é isto que tendes feito, antes se enveredam por suas feitiçarias na rebelião que promovem contra minhas PALAVRAS. Me dão as costas e vão após eles e desprezam a qualquer que os repreenda. Assim se foram de mim em buscas de vaidades carregados pelas concupiscências dos olhos, semelhante as ruínas que são arrastadas pelas enxurradas após uma tormenta. Não se firmam no que lhes foi escrito e tornam-se como palha ao vento das doutrinas demoníacas.

Eis que levanto a oposição para arrancar o que não plantei, e extirparei pelas raízes estes arbustos que se colocaram entre mim e o meu povo para seduzi-lo contra mim em suas vaidades e todo aquele que não fugir dos tais, serão queimados junto estando à suas sombras. 

Vos constituí um reino de sacerdotes para que nenhum outro me substituísse entre vós e vos enganasse. Lhes dei autoridade para fazer guerra contra os poderes invisíveis , dons para que servissem o corpo mutuamente. Nenhuma destas maravilhas valorizastes, não a usaram para o propósito idealizado, antes para enganar, crescer e usurpar a glória de Deus, com interesses obscuros. 

Reconsiderai tudo isto, porque nesta geração grandes coisas ainda acontecerão para separar o joio do trigo, que não suceda não serem encontrados onde confiam que estejam. Não coseram vestimentas límpidas, suas obras são achadas podres, pois entesouram para si mesmos, para vossos deleites. Estou enojado de cultos de contemplação, com palavras e cânticos de lisonjas, hipócritas. Não aprenderam que o culto que eu exijo do meu povo é a renúncia da sua natureza morta? Que os cânticos de louvores e adoração são as obras de justiça de uns para com os outros? Acaso alguma música poderia me enlevar espiritualmente e não o amor verdadeiro, construído com obras justas entre vós?

Sou Deus absoluto e não negocio com os mortais coisa alguma. Acaso poderiam fazer algum bem a mim? Todas as coisas coisas que vos entreguei pela boca dos meus servos fiéis foram somente para vosso próprio bem, que se fazendo, o lucro é vosso, de maneira nenhuma meu.    


Agindo assim sucumbirão aos pés dos que vos são enviados como laço, como cova e como açoites. E isto será para que nenhuma carne prevaleça diante de mim, as quais recusaram o mandamento da renúncia. A estes desfarei pelas mãos de seus opressores, porque são como um câncer e devem ser extirpados para que não suceda a morte de muitos.

Pois estando pactuados comigo 
se constituíram a si mesmos em amizade com o mundo para deleite de vossa natureza caída, não deram crédito ao que foi escrito dizendo que os meus são queles que crucificaram sua carne com suas paixões. Fora disto ninguém pode ser de fato meu. Continuam sendo seus mesmos andando em seus próprios caminhos seguindo a doutrinas dos homens, denegrindo a minha imagem e adulterando o meu nome.

Se prostituem com seus amantes, com as vaidades do mundo e querem ao mesmo tempo desfrutar dos prazeres da minha intimidade, os quais estão reservados somente àqueles que verdadeiramente temem a Deus, aqueles que conduzem suas vidas em retidão. É este o discurso que sempre fiz diante do meu povo Israel, mas foi rejeitado. Como a galinha junta seu filhotes sob suas asas assim quis eu fazer com os filhos de Israel, mas suas ambições falaram mais alto,  por isso os lancei de diante de mim por mãos dos seus inimigos e os despedacei e os enviei como escravos dos povos longínquos e, a terra que lhes dei como herança, pela segunda vez os vomitou, da mesma forma eu vos vomitarei da minha boca aqueles que não ouvirem as minhas PALAVRAS e endurecerem sua cerviz diante do meu Espírito que insiste diariamente em convence-los do pecado da justiça e do juízo. 

Eu sou Deus e não mudo. O que eu fui, sempre serei e o que disse no passado  sustentarei para todo o sempre. A minha graça não concedi para a conversão de Deus, para diminuir a gravidade do que foi estabelecido pela minha justiça,  mas para a conversão dos pecadores. Ela não é a habilitação para que persistam nas heresias e nas transgressões. Nisto também estão equivocados.  Fui terrível no passado e também sou no presente. Não queiram experimentar o ardor da minha ira com a qual eu condeno os traidores da aliança. Tempo vos tenho dado para que se arrependam e se firmem na VERDADE.

Ouçam a minha voz e temam diante de mim. Respeitem a aliança que possuem comigo, que é estabelecida segundo os princípios e valores que vos entreguei, do contrário não permanecerão nela. Retornem ao ponto de partida e endireitem vossos passos para que não sejam destituídos e arrancados do plantio no qual foram plantados. 

Aos que tomarem atitude diante da minha PALAVRA, ATENTAREI E OS SEPAREI DO MEIO DOS OUTROS E OS SANTIFICAREI, CONCEDEREI SABEDORIA PARA VERDADEIRAMENTE VEREM E OUVIREM. SEUS PÉS NÃO TROPEÇARÃO NA PEDRA E PERMANECERÃO DIANTE DE MIM PARA SEMPRE. Ainda, a estes livrarei da perseguição que envio sobre esta terra como juízo aos que tem profanado o meu nome com o seu falso evangelho, aqueles que são a falsa igreja, com o engano que usam para aprisionar os que estão vagando nas trevas de um lado para o outro.

Nenhuma oração e súplica poderá mudar estas determinações. O tempo da grande colheita chegou, as cearas já estão maduras. Duas colheitas serão realizadas. Uma eu mesmo farei, a outra os anjos farão e esta será pisada pelas bestas que assolam a humanidade. Do oriente para o ocidente vem o relâmpago. Ouçam em obediência os meus estatutos, minha Sã Doutrina, para que não sejam confundidos e apanhados nas mesmas corrupções dos outros. 


"Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.  Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas."  Apocalipse 3:21,22




"
Porque o meu povo é inclinado a desviar-se de mim; ainda que chamam ao Altíssimo, nenhum deles o exalta."  Oséias 11:7

"Saí do meio dela, ó povo meu, e livrai cada um a sua alma do ardor da ira do Senhor."  Jeremias 51:45

"E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas."  Apocalipse 18:4



Profanação do Evangelho:






Culto aos ídolos






Sincretismo Religioso







Simonia






Falsas profecias 

















































Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Todo os comentários serão muito bem vindos desde que seja com responsabilidade. Ao fazer críticas, elogios e sugestões use do bom senso. Não serão publicados textos que não respeitem estas regras.

Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Arquivo do blog

Theme Support